SEJA BEM VIINDO A BORDO DO INTUIÇÃO

SEJA BEM VINDO À BORDO DO VELEIRO INTUIÇÃO!

terça-feira, 27 de agosto de 2013

ARATU - MARAGOGIPE 2013



ARATU MARAGOGIPE 2013
 
 
 
 
Pessoal,
Na sexta e sábado passados ocorreram a festa de abertura e a regata Aratu-Maragogipe propriamente dita.
 
Como todo o ano, o evento foi um sucesso, apesar do tempo que não ajudou muito (teve muita chuva e falta de vento).
Cheguei na quinta em Salvador por volta do meio e dia e fiquei até às 21h ajudando o Douglas da Raymarine a instalar meu piloto, já era noite quando saímos para calibrar o bicho. Depois, voltamos para a poita e o Douglas finalizou a instalação.
 
Às 21h, chegou de São Paulo o Rogério do veleiro Spyro Gyra (Ilha Bela) e não teve nem tempo de guardar as malas, pois tivemos que dar uma boa geral no barco, tendo em vista que eu já tinha levado tudo para a subida para Recife que deve acontecer no dia 07 set. Depois de muito trabalho, deu para dar uma dormidinha até às 7h, quando recomeçamos a lenha de arrumar o barco, colocar velas, ligar a placa solar nova e fazer a ligação hidráulica do novo tanque de água na proa.
 
Às 14h, chegou o Matheus, Comodoro da Flotilha Guanabara, que deu sorte e já chegou almoçando uma cavala frita com salada.
À noite fomos para a festa de abertura e toma chuva...
Voltamos ao barco e o Matheus aproveitou para me mostrar e ensinar a usar um programa da Garmin, que basta colocar a carta do GPS no computador e fazer tudo nela e depois é só colocar de volta no GPS e pronto, uma beleza! Esse vale a pena ter no computador...
 
Na manhã de sábado, tomamos um excelente café no restaurante do clube e depois voltamos para o barco para seguir para o local da largada. Foi quando o Guido chegou para terminar de compor a tripulação.
Já no local da largada, deu para notar que tempo ia ser de chuva e parecia que ia ventar muito. É, mas só pareceu que ia ter muito vento, logo na largada vimos que o bicho estava pegando e o barco não andava, pois não tinha vento nenhum e quem tinha gennaker tratou de subi-lo logo e foi embora.
 
Depois de muito tempo se arrastando, resolvemos colocar para cima uma vela drifter-reacher que eu tenho há muito tempo e por ela ser de um tecido bem fininho e ser um contravento danado, começamos a andar melhor e conseguimos passar na boia dois do canal e seguir rumo a Coroa de Pedra e Coroa Nova para depois entramos no rio  Paraguaçu.
 
O vento não ajudava em nada e às 17h estávamos parados seguindo apenas na maré que estava enchendo rumo a Maragogipe. Pelo andar do barco vimos logo que não conseguiríamos chegar antes do fechamento da raia (18h), então, ao passar por um veleiro que tentava ligar o motor sem sucesso e com 2 crianças a bordo, decidimos ligar o motor e dar um reboque. Logo a seguir (eu acho que pela demora do veleiro chegar em Maragogipe), uma lancha  com amigos veio e assumiu o reboque do veleiro.
 
Chegamos em Maragogipe e fomos para a terra, onde foi servido um excelente churrasco organizado pelo Wilson, dono do Restaurante do Aratu (churrasco fantástico, muito bom).
 
Após o jantar, resolvemos voltar ao barco e, ao chegar no pier flutuante da cidade, tinha uma balsa de ferro em nível mais baixo e tivemos que pular nela para depois pegar o transporte de volta ao barco. Nesse momento, o amigo Matheus ao colocar o segundo pé na Balsa (o primeiro foi no cunho de amarração da mesma) pisou num borda de ferro fina que ia de ponta a ponta da balsa, por sorte deu apenas uma forte torção no pé, sorte porque poderia ter batido a cabeça nessa borda e ter algo mais grave. Ao chegarmos no barco, fizemos um compressa de gelo e ele  foi medicado com anti- inflamatório. No dia seguinte, apesar da dor, ele estava bem melhor.
 
Levantamos âncora bem cedo e seguimos rumo ao Aratu com céu bem carregado e sem vento, toma motor...
Resolvemos então dar um bordo por Itaparica para o pessoal conhecer e de lá fomos velejando para Ilha da maré no primeiro Rizo, pois o vento estava bem forte e chegamos a ouvir no rádio que lá na entrada do rio um veleiro tinha acabado de perder o mastro.
Chegamos na Ilha de maré às 12:50h e logo descemos para almoçar uma salada de polvo e de siri, acompanhados e uma moqueca de camarão e de bejupirá.
 
Depois seguimos para ao Aratu, onde ficamos no restaurante conversando com o casal Nelson e Lúcia que são nossos amigos e moram a bordo do Avoante.
 
Na segunda pela manhã deixei Rogério e o Matheus no Aeroporto onde seguiram viagem para suas cidades.
Gostaria de agradecer a esses amigos pela ajuda no Intuição, companhia e pelo aprendizado.
 
Valeu, abraço
e Bons Ventos a todos
Comandante  Chagas
 Veleiro Intuição

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

TROCANDO O MOTOR DO INTUIÇÃO






Ele mesmo: o Josivan, mecânico de Ubatuba.
 
 
 
 
 
Pois bem. Vou relatar aqui a minha compra de um motor Audi Volksvagem  diesel, mais conhecido como motor Control.

 

Há um ano atrás, eu pensei em trocar meu Mold por um motor melhor e mais confiável, pois meu motor  já estava cansado e precisando de uma boa reforma.

 

Na época, procurei o Josivan (por telefone) e fiz uma sondagem sobre o supracitado motor, pois um amigo que tinha um Mold tinha colocado esse motor no seu barco e estava muito feliz.

 

Minha conversa não prosperou, pois fiquei com muito receio já que não conhecia o Josivan e o negócio me pareceu muito arriscado.

 

Em julho de 2012,  fui ajudar a levar uma barco de um amigo de Ilha Bela para Angra, um Fast 345, e o motor era um Control. Gostei do desempenho, do consumo e principalmente do pouco barulho e da vibração que quase não se percebia. O Comandante do Barco me falou muito bem do Josivan como sendo uma pessoa responsável e profissional.

 

Como todo ano, gosto de participar da REFENO e de lá dar um pulo em Natal para rever os amigos e de  lá voltar passeando até chegar em  Salvador. Resolvi ainda ano passado fazer um orçamento para fazer uma boa revisão do meu Mold, que ficou em torno de 6 mil. Decidi então que era a hora de comprar um motor, pois meu Mold ia sofrer muito indo à Noronha.

 Nesse interim, fui convidado por um amigo para participar do Costa Leste, REFENO 2102, FENAT e de lá voltar ao Rio e, com isso, o ano acabou e o motor novo ficou para 2013.
 

No início desse ano, decidido a ir à Noronha de novo, resolvi que iria colocar o motor do Josivan.

 

Pois bem, depois de fazer alguns contatos com amigos da ABVC que deram as melhores informações sobre o Josivan, fiz um contato telefônico com o Josivan e acertamos que, como eu não tinha pressa, iria pagar a metade do motor em 3 vezes e só depois ele entregaria o motor. E pagaríamos o restante.

 

Aqui começou meu drama, o qual eu mesmo criei por não conhecer ainda o Josivan.

 

Fiz o primeiro pagamento e o Josivan começou a montar o Motor. Como já estávamos em junho, fiquei muito apreensivo já que a 3ª parcela só era para início de agosto e pensei comigo como iria ficar a instalação, Maragogipe e quando iria poder testar esse motor antes da REFENO.

 

 Decidi então pagar antecipadamente a 2ª e 3ª parcela, ficando agora esperando o término da montagem do Motor.

 

Liguei várias vezes para o Josivan e ele me mandava fotos do motor e mesmo assim eu já não dormia direito, preocupado em atrasar alguma coisa e complicar minha ida a Noronha.

 

Josivan me aviosu que até dia 10 de julho estaria montando o motor do Veleiro Catu e que só depois terminaria meu motor e que o prazo de inicio de agosto estava tranquilo.

 

Durante a montagem do motor, procurei muitas pessoas em Salvador para fazer um orçamento para  tirar o meu  Mold do lugar e colocar o motor novo. Não tive sucesso nessa missão e então me convenci que era melhor mesmo que o Josivan viesse a Salvador montá-lo  (Melhor cosia que eu fiz), pois ele devia conhecer muito bem esse motor.

 

Acertei com o Josivan que eu traria o motor de onde ele mora, ou seja,  de Ubatuba para Salvador e depois pagaria a passagem dele para vir a Salvador montar. O Rogerio (do veleiro Spyro Gyra) se prontificou a pegar o motor em Ubatuba e levar para São Paulo e de lá colocá-lo para mim numa transportadora, o que me deixou mais tranquilo.

 

 

 

Do pagamento da 1ª parcela até a chegada do motor em Salvador se passaram 3 meses e eu, preocupado,  cheguei a pensar em ir a  Noronha de “Moldinho”  mesmo, pois não acreditava que esse tal de Josivan fosse cumprir  o combinado.

 

O tempo passou e chegou a data que o motor estava pronto  e eu apertado com os prazos da Maragogipe e REFENO, cheguei a orçar uma rápida revisão no Mold e deixar a instalação para depois da REFENO.

 

A essa altura,  comecei a conhecer o Josivan que eu não tinha conhecido ainda,  talvez por ter falado apenas ao telefone com ele

.

O Josivan me ligou no domingo, dia 4 de agosto, e disse para eu não me preocupar, pois estaria saindo de Ubatuba para Salvador no seu carro particular, trazendo o motor e que ia fazer a instalação pessoalmente. Ainda disse que iria passar em Niterói e pegaria seu irmão para ajudar a dirigir e que se eu quisesse, seu irmão era eletricista e poderia fazer a parte elétrica do motor já que eletricidade não era seu forte. Essa ligação foi na sexta à tarde.

 

Corri para comprar uma passagem para Salvador, pois ainda tinha que tirar o motor Mold e dar uma geral no porão.

 

Na segunda a tarde, com ajuda do mecânico Bicão do Aratu Iate Clube tiramos o motor Mold do local que habitou por mais de 20 anos, o bicho não queria sair de jeito nenhum, mas depois de muita conversa, convenci ele de deixar meu porão.

Para minha grata surpresa e já no finalzinho da tarde e poucos minutos antes do barco subir na carreta quem apareceu e na rampa do Aratu?  Isso mesmo! Josivan com seu irmão e meu novo motor.

 

Que felicidade, Josivan mostrou logo seu cartão de visita e num corre corre danado e antes do barco subir para o seco, o novo motor foi para dentro do barco, facilitando todo o serviço, pois colocar o motor para dentro estando o barco no seco ia ser uma lenha.

 

Na terça, quarta e quinta, o Josivan  não parou de trabalhar um só segundo, e no final do dia de quinta o motor já tava instalado e funcionando na carreta.

 

Fiquei impressionado com o profissionalismo do Josivan, além do combinado (instalar o meu motor), ele trocou o registro de água, instalou o filtro de água salgada, trocou o anodo, alinhou o motor, reinstalou a bomba de porão   montou um novo berço ao lado do berço velho do motor Mold deixando tudo pronto para a descida do barco na sexta a tarde . Seu irmão eletricista fez toda a parte elétrica do motor e trocou toda a minha fiação das bombas e dos painéis solares  por fio encapado acabando com fios soltos deixando o intuição de cara nova.

 

 

 

Com o motor novo no lugar não foi preciso nem mexer na minha tampa do motor, com muita paciência e jeito, o Josivan colocou o motor no lugar e  nada foi mexido na minha caixa do motor.

 

O Josivan me surpreendeu muito pelo seu profissionalismo e por ser um profundo conhecedor de mecânica de motor diesel ele merece todo o elogio, pois já vi nesses 30 anos de náutica muito mecânico bom, mas o Josivan é bom demais. Não teria a menor duvida de indicar ele para algum serviço.

 

Sobre o motor, tá pegando em 3 segundos e com uma bateria de 100A. Quase não faz barulho e também quase não trepida, fiquei muito satisfeito, não pelo velocidade de 6,5 nós a 1900 RPM mas principalmente pela forma que funciona, joga água pelo escapamento que é uma beleza. Antes com o meu Mold eu andava a 4,5 nós no máximo.

 

Acho que meu hélice ainda não é o ideal para esse motor, estou usando a velha do Mold. segundo o Josivan não é necessário trocar nada, pois ele tá andando muito bem sem forçar nada.

 

Tinha acertado com o Josivan que ele iria levar o Mold velho para Ubatuba dar uma boa reforma e colocar a venda para dividirmos o valor. Antes dele viajar resolvi dar de presente o Mold velho par ele. Assim poderá faturar mais um dindin extra.

 

Agora é testar o motor por aqui e depois subir para Recife.

 

Detalhe: agora entro no barco e ligo sempre o motor, pois não tenho mais aquele estresse de refrigeração, vazamento de óleo no porão e sem contar o barulho que diminuiu consideravelmente, pois meu porão não é todo fechado como nos barcos novos, se fosse, nossa, ia achar que tava desligado.

Gostaria de deixar aqui meus sinceros agradecimentos ao Josivan e ao seu irmão que nessa ultima semana se empenharam muito para deixar o Intuição de motor novo.

 

Obrigado também ao Eduardo Schwery (Veleiro Regwell), Tio Spinelli (Veleiro Soneca), e Rogerio (Veleiro Spyro Gyra), pois foram muito importante na minha decisão de comprar esse motor com o Josivan.

 

Obrigado!

.

 

 

Abraço e  Bons ventos a todos.

 

Chagas Veleiro Intuição agora com motor novo.